Surf's up

Onda após onda, Portugal cimentou a sua reputação como a capital do surf na Europa.

Em Novembro de 2011, as imagens do havaiano Garrett McNamara a estabelecer o recorde para a maior onda alguma vez surfada espalharam-se pelo mundo. O feito colocou a vila da Nazaré e o icónico farol, que se ergue acima da Praia do Norte, no mapa de surf internacional enquanto Meca das ondas gigantes, atraindo surfistas de todo o mundo durante as violentas tempestades que ocorrem no Atlântico ano após ano. Contudo, o panorama de surf em Portugal não se confina a um único local, e ao longo dos anos ganhou fama como um dos melhores da Europa. Graças à sua posição geográfica privilegiada, na ponta oeste da Europa, Portugal e os seus 943 quilómetros de costa selvagem são abençoados com excelentes ondas ao longo de todo o ano, particularmente no final do Inverno e no início da Primavera. Também o clima ameno e a grande variedade de ondas fazem do país um destino ideal para surfistas de todos os níveis, onde se formaram já muitos atletas de qualidade, entre eles vários campeões de nível internacional. 

Para além da Praia do Norte na Nazaré, a norte de Lisboa, que é considerada um areal com alguns dos breaks mais perigosos do mundo devido à ra - vina subterrânea ao largo dessa costa, Peniche é igualmente um dos mais famosos spots de surf em Portugal - uma península cujas praias contribuem para que o país seja considerado a capital do surf europeu. O local mais emblemático da “capital das ondas” é, todavia, a famosa praia dos Supertubos, onde ocorre uma das melhores ondas em tubo conhecida como “o Pipeline europeu”. As condições para o surf nesse local já lhe valeram ser palco do ASP World Tour (Circuito Mundial de Surf ), tendo o evento Rip Curl Pro Portugal a acontecer todos os anos por volta do mês de Outubro e a atrair grandes multidões, desejosas de ver os melhores do mundo a competir. 

Um pouco mais a Sul, também conhecida pela bonita paisagem e ondas perfeitas, a costa da Ericeira recebeu em 2011 uma merecida distinção internacional ao ser nomeada a primeira Reserva de Surf do Mundo na Europa. Com oito quilómetros de extensão, a costa apresenta várias praias adequadas para surfistas de todos os níveis, desde iniciados a profissionais. Com vários spots por onde escolher, a Praia de Ribeira d'Ilhas é um dos melhores locais para surf de alta performance em Portugal e também palco de muitas competições de classe mundial, entre as quais, no ano passado, os Campeonatos ASP World Junior cujo vencedor foi Vasco Ribeiro, o primeiro português a arrecadar esse título. 

Mais perto de Lisboa, em Cascais, o Guincho é uma praia da costa oeste com fortes ventos do Norte dotada de excelentes ondas para surfar. Nos dias de maior ondulação os iniciados ficam melhor na Praia de Carcavelos, apenas a 24 quilómetros da capital. Graças à sua posição virada para Sul, Carcavelos dispõe de condições perfeitas para surfistas novatos e mais descontraídos, e sendo uma das mais populares da zona, regista fortes enchentes no Verão. É conhecida pelos seus grandes tubos no Inverno. Viajando para sul, a região do Alentejo é abençoada com praias quase desertas, belíssimas paisagens e um ambiente de absoluta tranquilidade. Entre os spots mais conhecidos estão praias como São Torpes, Zambujeira do Mar e Odeceixe, muito embora hajam ainda muito mais por descobrir ao longo do Parque Natural da Costa Vicentina. 

Um verdadeiro paraíso para os surfistas é a região do Algarve, mais popular entre os turistas, mas repleta de excelentes surf spots e de serviços a condizer. A tornar-se rapidamente numa das mais conhecidas localidades de surf do país, a Arrifana é uma praia grande, semelhante a uma baía, protegida por imponentes falésias. A ondulação constante nessa praia torna-a ideal para aulas de surf, visto oferecer também várias escolas e opções de alojamento. Já o pointbreak do lado direito da praia, chamado “Canguro” pelos surfistas, proporciona ondas pulsantes e condições mais desafiadoras para os mais experientes entre eles. O Arrifana Sunset Fest ocorre todos os anos em Julho até de madrugada com uma grande variedade de atuações musicais e é já uma espécie de instituição para os residentes, surfistas e turistas da zona. 

Ainda na costa oeste fica a Praia do Amado, um ponto de encontro de eleição dos surfistas em qualquer estação do ano, graças ao seu acesso fácil e às suas correntes fortes. Flanqueado por falésias de cor escura, este longo areal é outro dos principais spots de surf no país que recebe regularmente competições de surf e body-board. A praia é muito procurada durante a época de férias e indicada para iniciados, que podem fazer uso das aulas na escola do Amado. 

Outrora considerada “o fim do mundo”, Sagres é hoje a capital do surf do Algarve. O título deve-se à sua posição na ponta sudoeste de Portugal, com as suas praias selvagens, falésias altas e bonitas paisagens rurais. As praias a norte do Cabo de São Vicente exibem toda a força do Atlântico e, como tal, são o recreio dos surfistas mais experientes. Basta viajar para o lado oposto e já a costa sul oferece ondas mais indicadas para novatos e veteranos. De Sagres a Lagos reúnem-se excelentes condições para surfar, proporcionadas pela ondulação sul e pelos ventos norte. Lagos acolhe uma grande comunidade de surfistas pelo seu ambiente descontraído e os muitos albergues e escolas de surf, em praias como o Tonel (com correntes fortes e condições semelhantes à da costa oeste), Zavial e Ingrina. Mais para este, a Praia da Rocha é uma das mais procuradas da zona e está a tornar-se cada vez mais num spot de surf, graças à sua ondulação natural, às instalações modernas e aos instrutores profissionais, prestando contributo para estabelecer Portugal como destino de surf de excelência durante o ano inteiro.